Historico

 

 

 



Durante a implantação do Projeto Memórias Reveladas, entramos em contato com diversos aspectos da cultura caiçara, através de conversas e depoimentos. Estes nos remeteram a um vasto material - formado por textos, vídeos e músicas - que tinha como propósito respaldar as demandas do projeto. Todos estes conteúdos, assim como seus autores, estão devidamente mencionados e, nos casos em que essa produção esteja disponibilizada para aquisição, deixamos um link para sua compra.  

Para facilitar a pesquisa, nosso Banco de dados está dividido em três segmentos: livros, áudios e vídeos. Esta página é alimentada continuamente, tanto através da introdução de novas compilações de conteúdos de texto, áudio e vídeo, quanto por meio de registros audiovisuais realizados no decorrer do projeto.


Livros

Este segmento é formado por textos extraídos de livros de referência sobre a cultura caiçara, alguns disponíveis para compra e outros já esgotados.


A Ilha de São Sebastião
,
de Ari França

Esta monografia de Ary França, de 1954, é o mais importante trabalho de geografia humana sobre a Ilha de São Sebastião. O trecho selecionado aborda a ocupação de Ilhabela a partir do século XVI nos ciclos da cana, do café e da cachaça. Para o transporte das mercadorias, especialmente da cachaça, foram utilizadas as canoas de voga, em suas célebres viagens para Santos.

O texto completo se encontra na Biblioteca da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP www.fflch.usp.br e no Banco de Dados sobre cultura caiçara do site do Espaço Cultural Pés no Chão www.pesnochao.org.br


Enciclopédia Caiçara Volume II

Organizado por Antonio Carlos Diegues, o livro de Paulo Pontes Filho, publicado pela Editora HUCITEC - NUPAUB/CEC/USP, apresenta o resultado de vários anos de pesquisa e coleta de termos e expressões usados pelos moradores de algumas vilas caiçaras do município de Iguape, Litoral do Estado de São Paulo e de glossários de palavras de outras áreas caiçaras.

Foi selecionado o capítulo "Características do falar caiçara", uma vez que seu conteúdo deu subsídios para a criação dos diálogos da peça "Rapsódia Caiçara".

O livro pode ser adquirido através da Editora HUCITEC - www.huciteceditora.com.br - Fones: (011) 3892-7772 ou 3892-7776


A Ilha de Búzios
- Uma comunidade caiçara no sul do Brasil - Emilio Willems 

O livro de Emílio Willems, publicado pela Editora HUCITEC - NUPAUB/CEC/USP, representa um clássico da antropologia brasileira. É um dos raros trabalhos sobre culturas insulares no Brasil, enfocando aspectos fundamentais do modo de vida caiçara, sua relação com a natureza, sua simbologia e imaginário. Trata-se de um importante relato sobre a Ilha de Búzios, colhido entre os anos de 1946 e 1948.

Selecionamos os capítulos 1, 2 e 3 que contextualizam o Litoral Sul do Brasil, com um enfoque no assentamento físico e histórico da ocupação da Ilha de Búzios.

O livro pode ser adquirido através da Editora HUCITEC - www.huciteceditora.com.br - Fones: (011) 3892-7772 ou 3892-7776

Ensaio

Ilha Vitória: para além do paraíso

Esse ensaio de Eduardo Schiavone Cardoso, mestrando em Geografia Humana do Departamento de Geografia da FFLCH-USP, busca apreender o diálogo que se estabelece entre o jornalista e seu objeto de reportagem, e como estão presentes diferentes concepções de tempo e espaço, além de diferentes versões sobre "o outro". O outro, no caso, são os habitantes da Ilha Vitória. (adicionado em 12/09/2018)

 

Ebook

Com quantas memórias se faz uma canoa
Edição dos Autores - São Paulo 2008
Autores - Marcia Regina Denadai, Maria Angélica Oliveira Gonçalves, Débora Olivato e Alexander Turra

Nos anos de 2007 e 2008, foram realizadas entrevistas com todos os proprietários de canoas de Ubatuba. Foram catalogadas 308 canoas, pertencentes a 186 proprietários. Também foram entrevistados 21 construtores de canoas no município. Essas “prosas” resultaram em um material riquíssimo sobre o uso e feitio das canoas no município, além de belos relatos de lembranças de momentos passados junto às suas embarcações e “causos” antigos. (adicionado em 27/08/2018)

Dissertação

Vitoreiros e Monteiros: Ilheus do Litoral Norte Paulista
Dissertação de mestrado de Eduardo Schiavone Cardoso, São Paulo, 1996.

O trabalho tem como objetivo analisar o modo de vida insular das Ilhas Vitória e Monte de Trigo, no que ele possui de singular e em suas relações mais amplas com o continente. Parte-se da análise das questões pesqueiras e de ocupação do espaço litorâneo, para em seguida verticalizar o estudo das comunidades de ilheus monteiros e vitoreiros, a partir de seu sistema de propriedade, das modalidades de uso dos recursos naturais, e de seu modo de vida. (adicionado em 2/11/2018)

Pesquisa de Campo

Uma das Jornadas da Cultura Caiçara aconteceu na atual Praia da Serraria. Antigamente ela se chamava Bem-vindos às Embaúbas. Encontradas na Mata Atlântica e em outros locais no país, as embaúbas são árvores de porte médio, com folhas grandes, verde-claras na parte superior e verde-prateadas na inferior.

Só que no início do século XX foi implantada uma serraria no local, que tirava árvores da mata e fazia tabuas e vigas que eram mandadas para São Sebastião e Santos. Foi nesse período que o nome mudou, e passou a ser Praia da Serraria.
Consta na memória da comunidade que havia 7 famílias morando lá, aí uma a uma foi indo embora, e a família de Seu Juca, que veio de Castelhanos, acabou se fixando lá, dando origem às duas famílias que inauguram a Árvore Genealógica da Praia  da Serraria.

A construção de Árvores Genealógicas integra o projeto Memórias Reveladas nas comunidades tradicionais, e neste sentido a equipe se subsidiou de materiais acadêmicos publicados sobre o tema pela geógrafa  e pesquisadora Mariana Pirró.
Segundo ela, "a história oral apresenta-se como uma forma de compreender a realidade a partir dos sujeitos. Ao ouvir e perguntar sobre histórias de vida, filhos, casamento e trabalho, o pesquisador ajuda a recuperar as memórias do lugar e conhece melhor a comunidade pesquisada".

Com relação à Árvore Genealógica, a geógrafa afirma: "outro procedimento de pesquisa participativa é a elaboração de árvores genealógicas, que permitem às pessoas visualizarem os parentes e suas relações, compreender e transmitir a estrutura e mobilidade da população". (adicionado em 8/5/2019)

Apresentamos aqui a Árvore Genealógica da Praia da Serraria.
(adicionado em 8/5/2019)


Texto do Ritual da Novena da Festa de Nosso Senhor Bom Jesus - Praia da Serraria
(adicionado em 10/5/2019)


Crônicas da Família

Nas apresentações realizadas na Jornada em Guanxumas da Ilha de Búzios foram usadas histórias compiladas por Patrícia Costa, aluna da 7a Série da escola local.

Ela fez uma pequena publicação reunindo quatro histórias, algumas contadas pelos mais velhos, e uma vivida por ela mesma. O livreto se chama Crônicas da Família e foi elaborado de forma artesanal. Clique aqui para ver essa publicação.
(adicionado em 20/5/2019)



 

Videos

.

Vídeo-documentário “Canoa Caiçara” 
Realização: Universidade de São Paulo, Instituto Oceanográfico, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e Instituto Costa Brasilis.

Produção do Documentário:
Luiz Bargmann Netto (Diretor)
Rose Moraes Pan
Diógenes S. Miranda
Antonio Gonçalves da Silva

Este vídeo-documentário foi produzido através do Projeto “Com quantas memórias se faz uma canoa”. O projeto e seus produtos possibilitaram que o assunto das canoas e, consequentemente, do momento vivido pela cultura caiçara, fosse colocado em voga no município de Ubatuba, de forma a promover uma discussão profunda e uma mobilização a respeito da sua preservação. (adicionado em 27/08/2018)

.

 

 

 

Vídeo: O Concar e o Pasquim

Depoimento do Sr. Robertinho, contando suas memórias de infância e o naufrágio do navio Concar, bem como os Pasquins que foram compostos na época para relatar o acidente. Este depoimento foi utilizado para uma "contação de história"realizada por alunos da Escola Municipal Dercy de Andrade de Castro.
(adicionado em 10/10/2018)

.

.

Vídeo: Vida Caiçara

A vida dos caiçaras é movida pelos ciclos da natureza. Esse vídeo mostra um pouco deste universo belo e dasafiador, que exige a busca contante pelo alimento. Produção do Projeto Memórias Caiçaras.
(adicionado em 11 de outubro de 2018)

.

.

Vídeo: História de Pescador

Entrevista com o Senhor Lourival Salinas – pescador e avô do aluno Juan Salinas - que subsidiou o conteúdo da peça apresentada nas Jornadas da Cultura Caiçara pelos alunos da Escola Sebastião Leite.

Senhor Lourival fala sobre como era a pesca de antigamente e como é agora, e as dificuldades que o caiçara enfrenta para sobreviver em função das restrições impostas pela atual legislação ambiental. Este vídeo tem produção própria do Projeto Memórias Reveladas.(adicionado em 30 de janeiro de 2019)

.

.

Vídeo: Canoa Caiçara de Ilhabela

Mostra características e também a feitura da canoa caiçara de Ilhabela, com depoimentos do Senhor Peter Santos Neméth, pesquisador do NUPAUB - Universidade de São Paulo, e também do Senhor Moisés, mestre canoeiro. Este vídeo tem produção própria do Projeto Memórias Reveladas. (adicionado em 9/2/2019)






Vídeo: Entrevista com Seu Mário Costa

Seu Mário é avô de Maria Fernanda, aluna da Escola Municipal Maria Thereza de Freitas Vidal. Sua entrevista forneceu subsídios para a realização da Jornada da Cultura Caiçara naquela escola. (atualizado em 17/2/2019)




Vídeo: Caminhos do Mar - Guanxumas da Ilha de Búzios

Três gerações caiçaras na lida da pesca em Guanxumas da Ilha de Búzios. Seu Rodolfo, o mais velho, fala sobre a vida, a canoa de voga e a época em que trabalhava com o limo das pedras. (atualizado em 29/5/2019)





Vídeo : A pesca de cerco – Praia da Serraria

Além de belas imagens da Praia da Serraria, o vídeo traz depoimentos do Sr. Lourival, mestre na feitura da rede de cerco, e do Sr. Sérgio, pescador da comunidade.(atualizado em 31/5/2019)




Registro de Depoimento: Dona Antonia

Dona Antônia, caiçara da Ilha de Búzios, neste depoimento fala sobre suas memórias de infância, e uma viagem que fez em canoa de voga para São Sebastião. No meio do caminho, ela e sua família foram surpreendidas por uma forte tempestade que as obrigou a parar e a viver uma grande aventura! (atualizado em 31/5/2019)






Registro de Depoimento: Dona Darcilia

Dona Darcília fala com saudades sobre sua infância em Guanxumas, o caminho que fazia para ir à escola, o convívio com seu bisavô que lhe contava histórias, e as brincadeiras e travessuras que lhe renderam muitas broncas de seus pais. (atualizado em 31/5/2019)






Registro de Depoimento: Dona Tereza

Dona Tereza fala onde viveu com sua família antes de se fixar na Praia da Serraria. Fala sobre as festas religiosas nas comunidades caiçaras, suas origens, e como a Festa de Nosso Senhor Bom Jesus ressurgiu na Praia da Serraria. (atualizado em 31/5/2019)






Registro de Depoimento: Seu Orlando - Praia da Serraria

Seu Orlando fala sobre as dificuldades que os pescadores das comunidades tradicionais estão enfrentando em função da legislação restritiva para sua atividade. Fala também que a pesca industrial está acabando com o pescado, e que quase nada resta para a sobrevivência do pescador artesanal. (atualizado em 31/5/2019)






Registro de Depoimento: Seu Luís Cláudio - Praia da Serraria

Seu Luís Claudio trabalha com embarcações de pesca, e neste depoimento fala sobre a manutenção de canoas e de barcos, especialmente a pintura. Fala também sobre as restrições que os pescadores vêm sofrendo das autoridades em função da legislação ambiental. (atualizado em 31/5/2019)






Registro de Depoimento: Dona Olga - Guanxumas da Ilha de Búzios

Em seu depoimento, Dona Olga fala sobre suas lembranças da Festa de São Pedro e compara a vida na Ilha de Búzios de antigamente com os dias de hoje, as mudanças que ocorreram no papel da mulher e presença dos evangélicos na comunidade. (atualizado em 31/5/2019)




Áudios

As canções abaixo serviram como referência sonora para a criação da trilha musical da peça Rapsódia Caiçara.
Elas encontram-se nos CDs Dias de Música Caiçara.

São dois CDs produzidos pela Dialeto - Latin American documentary, com coordenação e direção
de Vito D"Alessio

CD Tradição

O Caranguejo - Grupo Os Sete Unidos - Paraty - RJ - Ricardinho - timba, João Bento- cavaquinho, Seu Joãozinho -cavaquinho, Seu Cantareli -violão, Seu Détinho - bandolim,  Seu Ditinho Canoeiro -viola e voz, Seu Dito Beleza - pandeiro e voz

CD Influências

Tontinha - Grupo Fandango Caiçara -  Ubatuba - SP - Washington - violão, Mario Gato - viola evoz, 
Jairo
 - viola, Marinho- machete  voz, Dedé - violão, José Moises - pandeiro, Lauriana - pandeiro e voz, 
Pedro
 - surdo

Maria poe o barco n'água - Grupo Os Caiçaras - Paraty -RJ - Dinho - timba, Vicente- violão, 
Adail
 - cavaquinho, Seu Julinho - cavaquinho e voz, Leônidas - violão e voz, Zé Malvão - viola e voz, 
Fred
 - viola e voz, Maneco - pandeiro e voz, Seu Amélio - pandeiro e voz

-----------------

Links externos

Instituto Costa Brasilis

Movidos pelo atual cenário de descaracterização da cultura do povo caiçara, pesquisadores do Instituto Costa Brasilis desenvolveram o projeto “Com quantas memórias se faz uma canoa”, que teve objetivo preservar a memória da cultura caiçara através do cadastramento e registro histórico das canoas “de um só pau” no município de Ubatuba. Conheça o trabalho desta OSCIP. (publicado em 27/08/2018)

 

 

Conheça o Diário de Bordo. Contém informações organizadas mês a mês de todas as ações.