Historico

Término da Jornada

O projeto Memórias Reveladas chega ao fim depois de uma longa e fértil caminhada que teve início em 2017.

Seu objetivo foi resgatar e valorizar a cultura caiçara, através do registro das histórias e causos contados por seus representantes mais velhos, reinterpretando e dinamizando estas “memórias” junto às novas gerações.  

No trajeto, histórias reais e extraordinárias emergiram, como o naufrágio do navio Concar que bateu na pedra e afundou, uma linda princesa que se transforma em capivara, e um peru que roda e pisca suas luzes ameaçando os moradores do lugar. O imaginário caiçara aproxima o fato concreto daquele que se situa no limite do acontecido, estabelecendo uma terceira dimensão do real, que se propaga em cada comunidade como um domínio imaterial próprio. É o que se detecta, por exemplo, em histórias que não se sabe de onde surgiram, mas que todos conhecem.



Os laços afetivos e de pertinência representam os elos de maior aglutinação e fortalecimento de um povo, e o projeto atuou diretamente neste veio, promovendo a circulação vital da cultura caiçara – a transmissão de seus saberes e fazeres. Ao interpretarem as memórias contadas por seus parentes mais antigos, as crianças reafirmam e consolidam sua própria história, dando vigor e pertinência ao passado no império do presente.

O Projeto Memórias Reveladas realizou atividades em escolas municipais de 14 núcleos, sendo 7 urbanos, com grande presença caiçara, e 7 em comunidades tradicionais.

Mais de 2000 pessoas participaram de suas ações. A peça de teatro de bonecos Rapsódia Caiçara foi assistida por mais de 1000 pessoas, atingindo até a comunidade mais longínqua, Ilha da Vitória, a 4 horas de barco.

As Jornadas realizadas permitiram um contato intenso com as comunidades tradicionais, uma verdadeira imersão, pois o tempo médio de permanência nesses locais foi de 7 dias.

 

As histórias relatadas e os afazeres cotidianos compartilhados com os caiçaras ampliaram nosso conhecimento sobre o saber e o fazer caiçara, que se somou a um vasto acervo de histórias, gravações, filmagens e convivência com as comunidades visitadas. Esta proximidade alimenta a relação e reforça os laços de afetividade entre a equipe do projeto e a comunidade caiçara, viabilizando outras iniciativas. 

Tivemos a felicidade de produzir e disponibilizar mais de 30 vídeos em nosso site com imagens dos caiçaras e das comunidades visitadas. Nossa perspectiva foi a de colaborar para uma maior popularização deste universo, revelando sua riqueza cultural e modo de vida peculiar.

É imprescindível falar sobre o encantamento das crianças com os bonecos, uma vez que esta foi uma ferramenta essencial do ponto de vista metodológico no projeto. Nas oficinas que aconteceram durante as Jornadas da Cultura Caiçara, as crianças criaram seus bonecos que foram personalizados, segundo as histórias contadas pelos mais velhos.

A partir das encenações realizadas através do Teatro de Bonecos ocorreu uma transmissão da memória de cada lugar entre gerações, de forma lúdica. Isso significa que - dependendo da história contada - a criança pode manipular um personagem que eventualmente é seu avô, ou quem sabe, sua mãe.

Depois das apresentações no final da Jornada, esses mesmos bonecos viraram grandes amigos de brincadeiras.   

Nas Oficinas de Multiplicação compartilhamos conhecimentos com professores das áreas de Linguagem e Humanas, assim como com professores das Comunidades Tradicionais, com a perspectiva de que eles disseminem conteúdos sobre a cultura caiçara no âmbito da política educacional do município.

Há muito a agradecer....

Em primeiro lugar, aos alunos e familiares caiçaras que participaram do projeto;

Em seguida, à equipe de gestão da Secretaria Municipal de Educação que abriu as portas das 14 escolas em que o projeto atuou;

Depois, aos diretores, coordenadores pedagógicos, professores, monitores, merendeiras e meninas da limpeza de todas as escolas municipais visitadas;

E também, aos diretores, coordenadores e professores das escolas estaduais de ensino médio Maria Gemma de Souza e Gabriel Ribeiro dos Santos.

Finalmente, um agradecimento muito especial à Petrobras pela confiança e parceria nesta iniciativa.

Obrigado a todos por estarem conosco nessa inesquecível Jornada!








O Projeto Memórias Reveladas tem patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Sócioambiental