2018 -     Fev    Mar    Abr    Mai    Jun    Jul    Ago    Set    Out    Nov    Dez   
2019 -     Jan    Fev    Mar    Abr    Mai    Jun    Jul    Ago    Set    Out   

Era uma vez… um mundo cheio de... guerra!
As pessoas lutavam e se machucavam.
Lutavam e morriam.
E todo mundo vivia com medo e com raiva.

Mas nem todos queriam lutar.
Algumas pessoas preferiam a PAZ.

O José era uma dessas pessoas.
Cansado de guerra, ele pensava num jeito de estar em Paz

E José teve uma idéia! Juntou toda a família,
as crianças, o irmão Pedro,
a mulher Maria
e anunciou:
Vamos morar numa Ilha!

No primeiro momento, todos se assustaram, mas depois de pensar e pensar, eles concordaram.

Um dia a Toninha estava com tosse, e seu pai resolveu levá-la para o farmacêutico.

Quando eles abriram a porta da igreja, minha nossa, ficaram assombrados, porque a chuva e o vento derrubaram árvore, derrubaram telhado de casa… Minha nossa, é de lá que vem o choro da criança!!! Debaixo dessa casa despencada!

E foi assim que a família do José
chegou na Ilha Delicada
.

E começou a trabalhar.
Construiu uma casa
e uma horta familiar

Ela plantou arroz, feijão,
batata doce a as ervas que curam:
guaco e gervão
.

E aprendeu a pescar, a fazer rede,
a fazer cestas, a fazer canoas…

 

O tempo passou e eles tiveram filhos, e os seus filhos tiveram outros filhos, e mais filhos.

Agora são várias famílias
Uma delas é a família do Seu Oscar
A família dele é grande, muitas filhas, filhos e netos
Uma de suas netas é a Toninha.
Ela adora quando o avô senta num toco de madeira
e começa a contar histórias do antigamente

Ela sempre pede prá ele repetir as histórias que dão
medo,
porque a Toninha é muito corajosa!
E o avô Oscar contava dos piratas passavam por aqui.
"Eu sou um pirata terrível!
Eu vou pegar você!!!"
E todo mundo dava risada….

Logo cedo, tudo pronto pra viagem.
Era longe. Horas remando na canoa.

Seu avô Oscar não aprovou:
olha que esse tempo tá estranho…
Pode vir a Tribuzana!

Mas o pai da Toninha era um tantinho teimoso,
e não acreditou
:

Que nada Seu Oscar.
Não tem Tribuzana nenhuma. O tempo tá firme!

Chamou a família, a mulher, o irmão e a filha…
e lá se foram para a Vila
.

E quando estavam quase chegando, que medo!
O céu ficou preto, e o vento gelava a espinha
Era a Tribuzana se aproximando
E a mãe disse: bem que o Vovô avisou
E o pai falou:
tamo chegando na praia da Armação

E todo mundo:
Vamo pará na praia, Vamo pará na praia!
Eles conseguiram chegar lá, e foi só o tempo de amarrar bem amarradinha a canoa, e a Tribuzana despencou.

Ainda bem que a igrejinha tava aberta.
Todo mundo entrou na igreja, se aquietou e agradeceu.
Por estar ali a salvo, enquanto parecia
que o mundo caía lá fora
.

Depois de um tempo, a chuva acalmou,
e a Toninha já tava até com fome
..
A família toda dormia,
porque ouvir a chuva dá sono mesmo

Toninha era a única acordada.
De repente ela ouviu um barulhinho: nhé…. nhé
O que era aquele barulho?
Não era bicho, não era o vento,
não eram as ondas do mar

Não era passarinho, nem era o rádio do vizinho

Ela tentou a todo custo acordar seu pai e sua mãe:
Pai, mãe, acorda!Tô ouvindo uma criança chorando!
O pai acordou foi de susto: Que é isso Toninha?
Por que me acorda desse jeito?
Tem uma criança que chora e chora sem parar!
Pois deixe que a mãe cuide da criança, ora!
Nhé, nhé…Nhé, nhé…

O bebê não parava de chorar,
e a Toninha estava muito aflita.

Mãe, vamo salvar a criança!
Era só o que faltava!
Nhé, nhé…Nhé, nhé…
Tá bom Toninha, também tô escutando.
vamo sair lá fora e procurar.

Vamo família! Vamo salvar essa criança
Foi uma aflição muito grande enquanto
tiravam com cuidado cada parte da casa derrubada

E foi uma alegria imensa quando viram
a mãe desmaiada abraçada na criança que chorava.

A mãezinha, que estava desacordada,
logo recobrou a consciência
.
Milagre! Era o que ela falava.É um milagre!
Todo mundo se abraçou por um bom tempo

Fica tranquila, tá tudo bem agora.
O pior já passou.

Estou muito agradecida, do fundo do coração
Vocês são incríveis!

Ora, imagina, qualquer um teria feito a mesma coisa.
E aos poucos foi chegando mais gente, até o padre da igreja veio ajudar.
Então, depois de tudo resolvido, lá se foi a família da Toninha
para o farmacêutico.

Mas já nem precisava, porque de doença a Toninha já não tinha mais nada. Foi curada pela alegria de ver a criança salva!

Para contar essa história tão linda, memória resgatada de Dona Toninha quando ainda era menina, foi preciso muito trabalho com os alunos nas oficinas: criar a canoa, a igreja, a casa demolida, o varal de peixes secos, a hortinha, a Tribuzana, todos os bonecos que integraram a contação, e, além disso, aprender as músicas e a sonoplastia da Tribuzana! Foi uma produção e tanto de objetos de cena! Eles fizeram de tudo....que estava ao seu alcance.

 

 

No dia da apresentação, foi montado numa das salas o Teatro de Nesa, uma das modalidades do teatro de bonecos, mais adequado ao tamanho das crianças. Todos os alunos da escola assistiram atentos à peça. 

 

 

A turma do projeto estava super animada e participou ativamente, cantando as canções que ajudaram a contar a história e fazendo com as mãos o som da chuva - em todas as suas nuances. 

“Maria bota o barco n’água, bota o barco n’água vamos navegar
Maria se esse barco vira vem o canoeiro para nos salvar”. 

Depois das apresentações a equipe do projeto se reuniu com os alunos e fez a entrega dos bonecos de cada um. A meninada estava eufórica! A professora recebeu a mãezinha com seu bebê. Foram entregues também para a professora todos os objetos de cena e a mesa utilizada na Contação, para que ela e os demais professores, possam futuramente trabalhar com as crianças outras produções cênicas.  

Na despedida a turminha cantou para a equipe, e foram muitos e muitos abraços cheios de afeto!!

 

O Projeto Memórias Reveladas tem patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental 

 

Março

As oficinas na Escola Municipal Natã Ugo foram super divertidas. Os desenhos se transformaram no Jogo de Memória dessa turma, mas havia muitas outras coisas a serem construídas.



Entre as coisas que foram criadas, destacaram-se os bonecos. Cada aluno criou seu próprio boneco.

Enquanto isso, a história estava sendo escolhida, e a mais emocionante, que se transformou na Contação com Bonecos, foi a de Toninha encontrando o bebê e sua mãe  debaixo dos escombros de uma casa. 
A história se chamou "Uma Ilha Muito Bela". Ela é assim:

 

 

h