Historico

O projeto "Artes Cruzadas" foi realizado em 2018 pelo Espaço Cultural Pés no Chão com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, através do Edital Território das Artes - ProAc. Ele desenvolveu uma extensa programação cultural, que incluiu atividades de formação, residências artísticas e apresentação de espetáculos, que forneceram  referências culturais e artísticas de qualidade à população de Ilhabela.

Entre as atividades de formação, o projeto ofereceu um curso de artes cênicas para adultos que resultou na montagem do espetáculo cênico-musical “Entre o Céu e a Terra”, apresentado em dezembro de 2018.

Com relação à agenda cultural, ela foi bem diversificada, promovendo entretenimento, mas também reflexão. Os eventos contemplaram a todos gostos e idades, assim como as linguagens artísticas utilizadas. Praticamente todos os trabalhos foram apresentados no Pés no Chão, exceto a Rapsódia Caiçara, que foi levada às comunidades tradicionais de Ilhabela.  

Além de teatro, tivemos espetáculos de dança, circo e shows musicais que encantaram todo o público presente no Pés no Chão.

Apresentações Artísticas

Sagapò
Teatro Del Respiro
10 de março

Um trabalho primordialmente gestual, cômico e dramático que foi finalizado numa residência artística no Pés no Chão por André Casaca, do Teatro C’art Comic Education, e Irene Michailidis.

 

A Casa de Tábua
Teatro C’art Comic Education

11 de março

Casa de Tábua é um encontro inesperado entre som e gesto. Encontro que revela o lado mais cômico do homem em seu cotidiano. Um lugar imaginário, mas tão real que talvez o desejássemos que fosse nossa própria casa.

 

Lançamento do disco “Palavra Não”
Banda Alquifonia

9 de junho

“Palavra Não” é o resultado das diversas parcerias nas composições, multiplicando os pontos de vista sobre o mundo que vivemos e no qual seus integrantes se apresentam enquanto músicos. Integram a banda diversos músicos nascidos em Ilhabela.

 

A Prudência
Cia Ilhoa de Teatro
16 e 17 de junho

Prudência é uma comédia que se passa em qualquer cidade de médio a grande porte, em qualquer lugar do mundo. O medo e a insegurança são realidades urbanas e estão refletidas na paranóia de duas amigas de toda uma vida. Em tempo real, no transcorrer de uma noite de réveillon, elas levam à consequências extremas o temor, a insegurança e a fragilidade humana nos tempos atuais

Rapsódia Caiçara
Contadores de Histórias do Pés no Chão

de 20/6 a 27/6

A peça é encenada por bonecos e atores, com música ao vivo. Conta a história de Bidico e Tontinha, um casal típico caiçara que vive mil aventuras no trajeto de barco até a praia do Bonete, onde irão participar das festividades de Santa Verônica.

O grupo de Contadores de História do Pés no Chão realizou uma turnê com o espetáculo, apresentando-se em seis Escolas Públicas Municipais de comunidades tradicionais e também da área urbana de Ilhabela.

As apresentações aconteceram no Canto da Lagoa - Baía de Castelhanos, no Canto do Ribeirão - Baía de Castelhanos, Praia Mansa, Praia da Serraria, Ilha de Búzios e Ilha da Vitória.

 

Colheita
Corpo de Baile de Caraguatatuba

dia 23 de junho

Este trabalho trata dos conflitos da vida urbana, da interdependência com o outro e, principalmente, da questão da alteridade na vida humana, ou seja, ver o outro como alguém que contribui para nossa formação, e neste sentido, a importância de se colocar no lugar dele e de senti-lo como um colaborador.

 

Mandala Playground - Que jardim podemos construir juntos?
Théo Silva Iazzetta e Ricardo Iazzetta

dia 21 de julho

Mandala Playground é um convite à experimentação. Pai e filho, Théo Silva Iazzetta e Ricardo Iazzetta, se encontram num círculo branco que vai revelando nuances e cores, danças e paisagem – para criar uma realidade colorida juntos, e pintar o tempo de música e gesto, e o espaço de cor e som.

 

Magavilha
Palhaça Carmela (Iris Fioreli)

dia 5 de outubro

Espetáculo infantil apresentado para alunos de escolas públicas e alunos das oficinas do Pés no Chão - Em Magavilha, tudo se passa em um ambiente minimalista amparado por uma trilha sonora especialmente desenvolvida para o espetáculo, onde a platéia é convidada a participar de forma direta na construção do espetáculo.

 

On Cô Tô?
Circo Navegador

dia 8 de outubro

Num encontro inusitado, o palhaço Surubim encanta a plateia com sua ingenuidade em situações de tensão, emoção, técnica e muita graça. De maneira bastante irreverente, este personagem provoca o público para uma vivência divertida e “descompromissada”, por meio das rotinas de um show circense, misturando cenas clássicas e criações próprias, equilibrando-se entre o deboche e a elegância.

 

Entre o Céu e a Terra
Cantadores da Terra

dia 2 de dezembro

Espetáculo montado no decorrer do ano de 2018, através de oficinas de formação teatral. O texto “Entre o céu e a terra” foi escrito por Luiz Laranjeiras, e cedida por ele para ser encenada pelo grupo em processo de formação através do projeto. Com elenco formado por adultos da comunidade, a montagem cênico-musical traz música ao vivo, e ritmos bem brasileiros com rabeca, violão, cavaquinho, tambores e muita percussão.  Algumas letras estavam indicadas no texto, mas várias melodias foram criadas pelos atores a partir da poesia de Luis Laranjeiras.

 

Choro Livre
Felipe Bianchi e Cristiano Pedroso

dia 18 de dezembro

Músicos radicados em Ilhabela, Felipe Bianchi (violão de seis cordas) e Cristiano Pedroso (violão de sete cordas) montaram o show Choro Livre para ter sua estreia no Projeto Artes Cruzadas. O espetáculo reúne composições de Garoto, Jacob do Bandolim, Tom Jobim, Dilermando Reis e Rafael Rabelo. Durante a apresentação, os intérpretes contaram histórias para o público sobre as músicas interpretadas e seus compositores.