O Espaço Cultural Pés no Chão fica na Rua Macapá 72, na Barra Velha.
Maiores informações pelo fone 12 3896 6727

A equipe do projeto realizou pesquisas, entrevistas e registros audiovisuais, visitou Quilombos e convidou lideranças de comunidades afrodescendentes para participar do evento. Por outro lado, os alunos do Projeto realizaram apresentações artísticas de dança, teatro, capoeira, canto, e também fizeram pinturas relacionadas ao universo da cultura negra.

Esse movimento resultou num evento plural, que se voltou tanto para o público infantil em sua programação, quanto para os adultos, incluindo professores, estudiosos e interessados pela cultura afrodescendente.  

 

Na noite de sábado, 4/6/2015, aconteceu uma Roda de Conversa, organizada pelo professor Beto, da AMAI. Ela foi formada pela Dra. Cintia Bendazzoli, arqueóloga e historiadora, e figuras de expressão no contexto da religiosidade afrodescendente como o sacerdote de candomblé Ataualpa de Figueiredo Neto (Tatá Cajalacy), Teresinha de Oliveira Marciano Costa, presidente da Zambô do Movimento Negro de Caraguatatuba, Ditinho Elegância, músico e na época Secretário Municipal de Cultura de Ilhabela, Nega da Capoeira, responsável pelo grupo organizado Semear, de Ilhabela, Noemi, presidente da AMAI e da Liga das Escolas de Samba de Ilhabela, Marcos Cardeal, da Associação dos Congueiros, Dona Izanil, da Congada de Ilhabela e integrantes da Capoeira e do Movimento Hip Hop.

A programação ainda incluiu a participação do grupo de Jongo Ô de Casa, do Quilombo da Fazenda Picinguaba, de Ubatuba.  

No domingo, dia 5, foram realizadas as apresentações artísticas dos alunos do projeto Memórias Reveladas. Os grupos de teatro mostraram um esquete sobre os preparativos da Congada de Ilhabela e outro sobre a Lenda da Escrava Josefa, de Ubatuba. Os grupos de dança apresentaram coreografias inspiradas no Jongo. Os alunos de capoeira fizeram uma roda.

nome do projeto

Logomarcas Brasil Petrobras Pes no Chão

O Espaço Cultural Pés no Chão promoveu, entre os dias 30 de maio e 5 de junho de 2016 a “Jornada da Cultura Silenciada”. O evento fez parte da segunda etapa do projeto Memórias Reveladas, realizado pelo Pés no Chão com o patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental – Seleção Pública Comunidades. O evento contou, também, com o apoio da AMAI (Associação do Movimento Afrodescendente de Ilhabela). 

Esta fase do projeto teve como propósito realizar um mergulho na memória da população afro-brasileira do Litoral Norte, com o intuito de conhecer sua contribuição para o universo caiçara.

.